terça-feira, 11 de julho de 2017

Eterno Sonho

Voava como um avião de papel,
Tão leve como um pedaço de napa,
Que eu guardara desde longa data,
Enrolado a um fio de cordel.
**
Achei-o num dia tristonho,
Amassado parecendo chapa,
Uma noite apareceu no meu sonho,
Caído num bairrinho de lata. 
**
Ele voara tanto com o passar dos anos,
Como um tufão que provoca danos,
No peito um cordel apertado.
**
Ao dormir, por vezes está ao meu lado,
Destemido...ainda me pergunta,
Porque sonho eu acordado?
**
Cristina Ivens Duarte-11/07/2017


Sem comentários: