sábado, 28 de janeiro de 2017

Quando a noite cai e se fecham as cortinas.

A noite cai e fechámos as cortinas,
Os meus olhos o viram, e logo amaram,
Oh! que brilhantes ficaram as meninas,
Os nossos desejos, ambos concordaram.

As nossas almas queriam, ainda que em tortura,
Que estranha, esta nossa ligação,
Entregá-mo-nos na ânsia da procura,
Quando amargurados, tudo acabou em vão.

A chuva parou, para grande desgosto meu,
E a cortina, que antes nos abrigara, voou,
Ele saltou da cama e para a porta correu,
Eu tê-lo-ia beijado ainda mas, ele nunca mais voltou.

Deixei-me ficar, a cabecear junto à lareira,
Muito sofrida, porque o meu amor fugiu,
Se ao menos a chuva, tivesse durado a noite inteira,
Eu diria que, por uma noite ele comigo dormiu.

Cristina Maria-24-10-2016



Sem comentários: