sábado, 7 de janeiro de 2017

Na Densa Neblina

Nos seus passos, ela mostra fragilidade,
Seu chão parece ser de textura fina,
Com leveza, e uma grande suavidade,
Ela caminha sobre a densa neblina.


*
Tudo é vazio, insípido, e incolor, 
Seu coração está desgastado de saudade,
Ela penetra, ausculta, agarra, invade,
O espaço com o átomo do amor.
*
A dor que a contorce é tanta, tanta,
Parece a noite quando se levanta,
Deixando os olhos a estagnar.
*
E o cosmos sentindo compaixão,
Presenteia-a com uma linda visão, 
Da sua imagem no chão a brilhar.
*
Cristina Ivens Duarte-5/01/2017
























Sem comentários: