terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Amor ardente


Caía uma chuva leve e miudinha,
Ocultando nós os dois, o sol e a lua,
Eram gotículas de uma cor purpurina,
Despindo o nosso amor,..ali na rua.
*
Ninguém viu, nem soube o que aconteceu,
Quando tuas mãos no meu corpo deslizaram,
Vi milhões de bolinhas coloridas no céu,
Que no êxtase descontrolado arrebentaram.
*
Eram explosões de choques dentro do meu ser,
Abriu-se no meu corpo um leque de prazer,
Nada igual na libido sentida.
*
Meu coração pulou ouvindo o teu chamado,
Declamando versos ao teu corpo adorado,
Eternizando uma magia única na vida.
*
Cristina Ivens Duarte-17/01/2017

2 comentários:

Frederico disse...

Amor ardente, clamando, declamado em versos
lindos eternizados numa magia única de vida
LINDO como sempre sua sensibilidade
Abraço fraterno amiga
FC

Cristina Duarte disse...

Amigo FC, foi uma surpresa vê-lo aqui no meu refúgio. Grata pelo seu caloroso comentário, abraços.