sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

O Beija Flor E a Borboleta

Uma poesia de amor vou escrever, 
Em tons de azul, e torneada letra,
De um pássaro que estava a morrer,
E que foi salvo por uma borboleta,
*
Estava prostrado num manto de neve,
Um passarinho beija flor
A borboleta poisou ao de leve,
Logo ficou perdida de amor.
*
Com um beijo incandescente,
O passarinho abriu os olhinhos,
De imediato ficou quente,
Com a ternura dos beijinhos.
*
A borboleta disse, anda daí!
Segura-te nas minhas asas,
Vamos embora daqui,
Voar até às roseiras bravas.
*
Ultrapassaram o inverno penoso,
Agarradinhos um ao outro,
Como um cobertor todo rugoso,
Felpudo, e cheio de borboto.
*
Logo depois chegou o verão,
Despiram o aquecimento,
Enamorados deram a mão,
E marcaram o casamento.
*
E não é que acasalaram!
Nasceu uma passaroleta,
Até eles se espantaram,
No que deu a paixoneta.
*
Cristina Maria Ivens-2/12/2016










1 comentário:

Eduardo Samuel Ferreira disse...

Muito bem elaborado e inspirado.