quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O ato de cozinhar

Cozinhar é o mais privado e arriscado ato,
Descobrem-se relações, entre os alimentos,
O sexo mantido, entre a faca e o garfo,
Que a boca grita, com os seus movimentos.

Cozinhar, é um modo de amar os outros,
Na panela se verte, o ódio, ou a ternura,
E na arte, se vai conhecendo aos poucos,
Quem ferve, em muita, ou pouca gordura.

O alimento necessita de paparicos,
Festinhas na cabeça, do alho francês,
Beijinhos, para evitar os salpicos,
Um "I LOVE YOU", de molho inglês.

Cozinhar, é como doar um coração,
Envolvido, num potente vinagrete,
Pisar o bicho, que está entre o feijão,
E a pedra, para não lascar o dente.

Para tal, não importa ser míope,
Basta apenas, uma pitada de alma,
Ter sempre à mão, um frasco de ketchup,
E a mostrada, que é tão boa e acalma. 
 *
Cristina Ivens-23-11-2016