quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Um momento louco

Saí um dia, para caminhar,
Soltar o meu sangue das veias,
Não vi alma viva a passar,
Pus-me a falar com as areias.

Sussurram baixinho,
Para que eu me despisse,
Que seu pó era fininho,
Faziam que ninguém me visse.

Achei uma ideia louca mas,
Só estava eu mais o deserto,
Então tirei a roupa,
Deixei-o boca e aberto.

Deitei-me com a dunas,
Em mim, começaram a mexer,
Como se fossem agulhas,
O meu corpo queriam coser.

Rolei nelas, como uma pena,
Senti os meus seios a voar,
A minha alma ficou serena,
Tranquila por sonhar.

O peito até sangrava,
Com a erosão do areal,
O fluido que me molhava,
Me tornava imortal.

Era areia na boca...
Da cabeça até aos pés,
Que ideia tão louca,
De não saber quem tu és.

Cristina Maria Ivens-26-10-2016








Sem comentários: