sexta-feira, 6 de maio de 2016

Em Mil pedaços

Na medida do possivel,
Consoante a força dos meus braços,
Mesmo que sejam invisíveis,
Quebrar-te-ia em mil pedaços.

Espalhados pela ternura,
Que o teu corpo evidência,
São cacos da minha loucura,
Que minha boca por ora lambia.

Envoltos pela tua cintura,
Sentirás o toque da minha mão,
Com mil metros de altura,
Voarás como um pavão.

E os céus com seus cristais,
Farão de ti um belo astro,
Nos teus olhos serão sinais,
De amor puro e casto.

Na ausência do teu amor,
Sentirei ardor nas veias,
Com o tempo ficará incolor,
Como as lágrimas de uma sereia.

Cristina Maria Afonso Ivens Duarte





Sem comentários: