sexta-feira, 27 de maio de 2016

Amor e luxuria

Sentimento sem peso
sem cor, nem espaço
com movimentos frenéticos
que desperta a libido
com choques eléctricos.
Descargas emocionais
que vazam do corpo
sem espaço, nem cor
é falar um com o outro
a linguagem do amor.
Tem cheiro a hormona
de ambos os sexos
é uma viagem a Roma
sem destino, sem nexo.
Barragem que alimenta
os nossos desejos, os abraços
os toques, o sexo e os beijos.
Amor fugaz, que cega, que torna
incapaz, de ver, ouvir ou saber.
É fome, é frio, é sede de um corpo
é prazer que acorda um morto.
Mergulhado em champanhe
é mar gasoso, com uva e morango
é triângulo amoroso.
Luxuria sem jóia, nem colar de pérola
´´é cobra, é jibóia, é veneno que rola".

Cristina Maria Afonso Ivens Duarte



Sem comentários: