domingo, 24 de abril de 2016

Vestígios amargos

Foste tão importante na minha vida
um marco que ficará para sempre
uma tatuagem jamais sumida
feita com tinta permanente.
Deixaste vestígios por tudo o que é canto
que é tão difícil eu te esquecer
parece um amor em lume brando
que não pára de arrefecer.
Saíste da minha vida
causaste-me tristeza e amargura
és a razão da minha magreza
o culminar da minha tortura.
Atingi o pico do sofrimento
ando para aqui a vegetar
quero me libertar do teu pigmento
não sei o dissolvente que hei-de usar.
Vou tirar-te da minha memória
para não enlouquecer de vez
quero sentir o sabor da glória
com outra mulher, duas ou três.
Cristina Maria Afonso Ivens Duarte

Sem comentários: