domingo, 17 de abril de 2016

Que seria eu sem ti

Senti perder-te por um momento
nunca me senti como tal
tão triste foi esse sentimento
que o vivi de forma tão igual.

Sei o quanto estavas agonizado
sofrido com a tua enfermidade
mas eu endoideci com o teu estado
que perdi toda a minha sanidade.

Mas foi breve o teu adormecer
abriste as janelas dos teu olhos
ao perto de mim eu te queria ver
com o teu sorriso cheio de folhos.

Descansei o meu coração
por ficares na minha vida
tantos anos de união
como ficaria eu, senão perdida.

Que seria eu sem ti
o lado esquerdo da cama vazio
um destino que nunca previ
dormir ao relento num rio.

Estás de volta na minha vida
fez-se luz, fez-se chama
em açúcar dissolvida
sorvo-te na nossa cama.

Cristina Maria Afonso Ivens Duarte

Sem comentários: