quinta-feira, 7 de abril de 2016

Diário intimo

Em teu corpo faço um manuscrito
de palavras de amor a condizer
deixo o meu desejo circunscrito
encho a tua pele de prazer.

Alucino em teus chamamentos
que tremo com o teu esqueleto
vacilo com os teus movimentos
com guache de tom branco e preto.

Diário intimo com cheiro a rosas
caneta de penas e folha de pele
preencho as noites, com lindas prosas
até aos glúteos, feitos de papel..

Entretens-me com toda a glória
soando gritos de aleluia
para toda a vida, ficas na história
marcada em ti, esta luxúria.

Vestida em linhas, com frases de amor
serás sempre minha, confeitada por mim
em noites líricas de grande furor
sou o teu poeta, que te desnuda assim.

Cristina Maria Afonso Ivens Duarte.







.



Sem comentários: