sexta-feira, 25 de março de 2016

Vazio


Este sentir que me deixa confuso,
 uns arrepios de doença sem nome, 
fazem de mim um ser obtuso, 
que não é adjéctivo nem pronome.

 De que será então do que padeço, 
que me atinge o corpo todo, 
do mundo inteiro eu me esqueço
 e me afundo lentamente no lodo. 

Aonde me agarro pergunto eu, 
se só vejo pedidos de socorro,
 já nem sei qual destes corpos é o meu,
só tenho a certeza que neste eu morro. 
















Cristina Ivens Duarte

Sem comentários: