segunda-feira, 14 de março de 2016

Rescaldo

Acredito plenamente na linguagem do amor
quando me envolves no teu corpo desnudado
sinto a meu lado uma fonte de calor
que me deixa em brasa depois de te ter amado.

Me envolvi no teu belo e doce manto
e decifrei cada código da tua pele
tocas-te em em mim e tal não foi o meu espanto
que não eras tu, era um favo de mel.

Aceleras-te o passo da nossa dança
senti que por momentos perdi o tino
no teu corpo me senti uma criança
que deixou para trás a inocência de um menino.

Assim ficamos em rescaldo, extasiados
com a viagem que nos esquecemos de comer
naquela cama sorvemos como gelados
todo o suco que um doce pode ter.

Cristina Ivens Duarte



Sem comentários: