sexta-feira, 25 de março de 2016

Âncora

Ancoraste em mim como um paquete
sentia-me à deriva, sem vela, nem remo
na minha baía caíste como um foguete
e vi que o céu não era azul, era amarelo.

És a ancora do nosso amor
a maruja que encanta o meu cais
dei mil voltas em teu redor
e dava outras mil e muitas mais.

Atracaste na perfeição
foste feita para o meu corpo
no teu leme encosto a mão
e deixo o mar leve como morto.

Cristina Ivens Duarte


Sem comentários: