sábado, 5 de março de 2016

A estrada da poesia

A estrada da poesia

Na imensidão e calmaria da paisagem
aonde a vida pára para se ouvir soar
suspendemos o caminhar naquele encanto
junto à estrada aonde a poesia tem lugar.

Nuvens tímidas e chilreares discretos
harmoniosamente combinam com o momento
discretamente aquele lugar tornou-se o tal
que o teu corpo adormeceu de sentimento.

Já o céu se ajoelhava por descanso
e a poesia se espalhava no chão
o vento amainava fresco e manso
que a minha prosa teimava em dizer não.

Nem o eco me fazia desistir
parecia Deus que me estava a cantar
para que eu não me deixasse dormir
e ficar a poesia a voar.

Cristina Ivens Duarte















Sem comentários: