segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Sou um velho muito bonito

Passei pela fonte do tempo
deixei a juventude para trás
nas intempéries e contra tempos
tornei-me neste velho rapaz.
Na terra encontrei o meu sustento
e acalmei um estômago em rebuliço
a enxada, a foice, o cajado
foi o meu suor, não foi feitiço.
E se repararem bem na minha pele
está cheia de estradas bem vincadas
algumas sementes ainda lá estão
fiquei com as mãos calejadas.
As unhas sujas!..quero lá saber!..
os olhos nunca perderam a tristeza
parece que estou a sorrir
este meu retrato está uma beleza.
Até o cigarro me fica bem
sou um velho muito bonito
como a velhice e trabalho combinam!..
já viram o chapéu?..nunca me tinham visto.
Pareço aquele actor de cinema
o Paul Newman, mas ele faleceu!..
O meu bigode está branquinho, bem cuidado
nunca me vi sem ele, sou um velho afortunado.

Cristina Ivens Duarte





Sem comentários: