sábado, 16 de janeiro de 2016

A minha papoila

Confundi-te com uma papoila
tinhas tudo para ser uma flor
cheirava folha a folha
nem me lembrava da cor.

Estavas tão linda e singela
as borboletas não te largavam
queriam poisar em ti aguarela
e dizer que te amavam.

A paisagem era do campo
eras primavera em flor
a beleza que transbordavas
ás outras flores causavas dor.

Queria ficar ali até ao outono
e da primavera ser o teu dono
depois levava-te comigo
serias rainha, fazia-te um trono.

Cristina Ivens Duarte









Sem comentários: