terça-feira, 17 de novembro de 2015

Quando as nuvens se beijaram

Eu e tu meu amor, partimos ao mesmo tempo.
A despedida não ficou esquecida, pois sabia
que o céu se encarregava de mostrar ao mundo
que os mortos podem beijar.
Atravessamos a luz para o outro lado
sem deixar recado, nem sinal de que um dia
nós os dois seriamos duas nuvens apaixonadas.
Quando já mais ninguém se lembrava de nós
eis que surgiram duas sombras no céu que o sol
empurrou e nos transformou em duas bocas
que se criam beijar.
Era eu e tu meu amor, que partimos com a dor
de não nos termos despedido.
Os nossos lábios se tocaram e formamos
uma linda  história de amor, que apenas no céu
tem outro sabor e fez lembrar aos grandes amantes
a existência de um lugar sagrado, aonde podem ser
guardados, sentimentos puros e amores perdidos.

Cristina Ivens Duarte



Sem comentários: