quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Depressão

Suspiro, inspiro
dou voltas ao pensamento
queria estar noutro lugar
sem culpas ou julgamentos.
Sem eira nem beira
confusão que fulmina
a minha mente
doença para toda vida
desespera, não mente.
Sempre ás escuras
no fundo do poço
corda apertada
com nó no pescoço.
Descalça caminho
sem rumo ou destino
minhas dores apago
com drogas e vinho.
Cérebro cansado
neurónios queimados
depressão instalada
morte desejada.

Cristina Duarte









1 comentário:

Carlos Carvalho disse...

Eu sei bem o que é isso. Muito bom. E revejo-me... Jokinhas!!!