sábado, 31 de outubro de 2015

Mãe


















Mãe
não sei aonde estou
o balão que eu enchia estoirou.
Era uma bolha de sabão
cheia de água quente
um ninho perfeito
um coração potente.
Ouvia as tuas musicas
conhecia a tua voz
comia a tua fruta
o meu cordão não tinha nós.
Era só tu e eu
nesta viagem aquática
conversava-mos os dois
eram bolhinhas magicas.
A magia acabou
não tenho água quente
só conheço a tua voz
no meio de tanta gente.
Agora choro com saudades
da minha bolha de sabão
tens de cantar para mim
juntinho do teu coração.
Cristina Duarte

Sem comentários: