sábado, 31 de outubro de 2015

Adeus

Tenho um mundo próprio que é só meu
com pétalas amarelas e glamurosas
que num fechar de olhos e um simples adeus
troco por outras muito mais cheirosas.

Pelo caminho vou percebendo
quem nele realmente me marcou
no seu carácter me vou lambendo
com o seu néctar que escorreu e ficou.

Os que nunca me cobraram nada
estando apenas estar por querer
eu por esses me senti tão amada
que perdi a vontade de morrer.

Outros daria tudo para apagar da mente
apenas com um estalar de dedos
aliviaria o meu coração para sempre
de sobressaltos, tombos e medos.

Algumas coisas valeram a pena
outras vou ter de enterrar
as que ficam, eu beijo apenas
as que morrem, eu deixo voar.

Cristina Ivens Duarte


Sem comentários: